Tag - Desenhos artísticos

Você sabe quanto cobrar para fazer um desenho ???

 Este artigo é dedicado a vocês, a todos os desenhistas que tem o intuito de trabalhar com desenhos, ou com qualquer tipo de atividade relacionado à arte. Eu vou contar um pouco da minha experiência e espero de verdade que vocês possam gostar e se identificar.

 Depois de dois anos desenhando intensamente, eu decide então começar a tornar a minha arte profissional, e então eu decide no ano de dois mil e catorze, a abandonar um trabalho que tinha em uma empresa, para então investir pesando nos meus desenhos e abrir a minha própria empresa. Bom, mas antes disso eu passei por um perrengue, pois eu não sabia como e em qual momento eu deveria cobrar para fazer um desenho realista. Sabemos que muitos de nós desenhistas decidimos nos arriscar e começamos a pensar em cobrar pelo nosso trabalho, afinal desenhar também é um trabalho, e era a partir desta atividade que eu queria também viver.

 Eu sempre soube que existiria uma grande dificuldade em estipular valores para os meus desenhos, não sabia mesmo quanto cobrar. Não tinha na verdade muito conhecimento se o que eu estava cobrando era muito ou pouco. Eu tinha muito receio de cobrar tal valor e na verdade não ser o justo, mas na real, qual valor seria o justo, afinal todos nós sabemos que arte não tem valor, mas… Será que não tem mesmo?

 Bom, uma das primeiras coisas que vem na cabeça geralmente é se eu deveria cobrar de acordo com o que meus colegas no mercado também cobravam, coisa que de inicio poderia parecer obvio, porém, ao mesmo tempo poderia ser uma furada, então eu comecei a decidir qual era o melhor valor a cobrar para se fazer um desenho realista.

  • Quando eu comecei a cobrar eu iniciei criando uma tabela, para então eu começar a me organizar.
  • Quanto tempo eu gastaria para fazer um desenho realista
  • Quais materiais eu iria adquirir para poder começar a cobrar um bom valor pelos meus trabalhos.
  • Qual valor eu iria cobrar por cada desenho, se eu iria cobrar por hora ou pela complexidade da arte
  • Como seria a forma de envio desses desenhos, sendo que alguns clientes poderiam morar em outros estados.
  • Como iria me formalizar antes de começar aceitar trabalhos para empresas pessoa jurídica, se era necessário eu me formalizar ou não.

 

Enfim, eram muitas dúvida, e com o tempo isso foi ficando cada vez mais fácil de resolver. Na prática sempre é mais fácil.

Eu comecei a entender com o tempo que, arte em si não tem valor. Você como artista é quem decide qual valor cobrar. É claro que se formos nos basear sobre os valores de outros artistas, podemos esta de alguma forma desvalorizamos o nosso trabalho, afinal, cada artista possui a sua habilidade e dificuldades, e assim consegue decidir como cobrar e quanto cobrar para fazer um trabalho artístico. O ideal para você desenhista que esta começando ou iniciando, é cobrar pela complexidade que a sua arte possui, tamanhos e materiais que você vai utilizar sem dúvida deve entrar dentro do orçamento, pois você precisa comprar nos materiais, caso ao contrário você esta fazendo desenhos de graça, e não é isso que você quer. Você precisa viver da sua arte ,afinal você abandonou tudo para poder viver dela.

 Outra coisa muito importante que você deve saber desenhista, é que nem sempre aquele que cobra mais, esta ganhando muito. Lembrando que você desenhista pode esta morando em uma região que não valoriza muito sua arte, e com isso, o seu cliente pode acabar fazendo orçamento com outros artistas e com isso você poderá esta perdendo um cliente, e isso não é muito bom. Cada artista possui a sua particularidade, técnica, forma de fazer arte, então se basear nos preços de seus amigos também desenhista não é uma boa, não entra nessa.

Outra coisa a dizer é que você não deve montar tabelas de preços por horas de trabalhos dedicados. Isto é uma forma errada. O ideal é você cobrar de acordo com a complexidade da arte, ou seja, estipular o valor que você acredita que ela deva ter, mas é claro, você deve ter muito bom senso na hora de cobrar.

 Outra situação que você desenhista deve ficar muito atento, é que quando você começar a ganhar dinheiro, é importante que você faça a você mesmo uma autocritica sobre a qualidade dos seus trabalhos. Nem todos os artistas que desenham estão preparados para começar a cobrar pelos seus desenhos. Imagine só que você desenhe o dia todo, mas de 10 horas por dia, que você gasta todo esse tempo para fazer um desenho e que você acredita que ele esta excelente; mas ai você percebe que o trabalho não ficou lá aquelas coisas, ou seja, não ficou nada apresentável. O seu cliente pode acabar não gostando, e é importante que você tenha muito bom senso e humildade de saber identificar se o seu trabalho esta bom, ou não tão bom assim, ou caso ao contrário, você talvez terá que devolver o dinheiro para o seu cliente, e na boa, isso é muito frustrante.

 Existem outros pontos que acaba atrapalhando muito você na hora de apresentar os eu preço, como por exemplo, nem todo mundo quer pagar um bom valor para você criar um desenho realista ou especifico. As veze a pessoa quer muito ter, mais não tem condições de comprar, porém em outros casos o seu cliente até tem dinheiro, mais ele não está nenhum pouco afim de gatar muito. Em muitos casos eles vão tentar negociar, em outros, vão procurar outros artistas e outros orçamentos.

 Só finalizando aqui o assunto que já está muito longo, o que acontece é que não da para você se basear nos preços de seus amigos, ou colegas de trabalho. Cada artista tem sua forma de ver o mundo, a sua forma de acreditar na sua arte. Ou seja, cada artista possui a sua técnica diferente.

 Se você quer pegar desenhos sobre encomenda, eu sugiro que você faça antes uma análise da qualidade dos seus trabalhos. Perceba se eles valem realmente quanto você acredita que merece valer. Verifique sempre isso, para exatamente não acabar se chateando ou desagradando um cliente que poderá voltar a fazer muito mais trabalhos com você, ok?

Então é isso desenhista, se você gostou do poste, deixe o seu comentário e sua opinião sobre o assunto ok?

Até a próxima!

Read more...

Materiais de Desenhos Realistas

  Desenho para iniciantes (Introdução)

Você sabe o que é desenho artístico?

Podemos utilizar o desenho para várias finalidades distintas, seja para um projeto de arquitetura, para entregar a um amigo ou ainda para expressar todos os sentimentos presos em você em determinado momento, por exemplo. Dependendo da situação, se usa um tipo diferente de desenho.

Mas, o que é um desenho artístico, afinal?

Como temos várias finalidades distintas, para algumas delas temos o desenho artístico. Diferentemente do desenho técnico que é usado para mostrar com exatidão como ficará um projeto depois de pronto, seguindo algumas normas técnicas etc., no desenho artístico não há a preocupação com normas, pois, tudo que é colocado no papel é, simplesmente, a forma como o artista enxerga o mundo. No desenho artístico é possível que o artista exprima todos seus sentimentos ocultos da maneira que preferir.

Neste tipo de desenho, o autor pode desenhar como preferir, não precisando que algo pareça real, é a maneira como ele vê suas ideias e sentimentos e não como os outros as veem. No desenho artístico podemos utilizar qualquer tipo de papel, além de lápis, carvão, lápis de cor, entre outros. Cabe ao autor do desenho escolher quais materiais conseguem suprir as necessidades daquele determinado momento.

Você sabe o que é DESENHOS REALISTAS?

Há aqueles que prefiram os Desenhos-Realistas que mostram a realidade nos seus mínimos detalhes como os meus desenhos que podem ser visulizados na pagina de galerias de desenhos. Quem utiliza esta técnica, normalmente estudou bastante até chegar neste resultado, contudo, não pense que as outras técnicas não precisam de estudo. Todas elas necessitam estudar muito, pois, por mais perfeito que tal desenho seja, a cada novo pode-se aprender mais.

Mesmo que seu desenho não retrate a realidade como realmente é, é importante conhecê-la bem antes de desenhar, pois, para sabermos o que não é real precisamos de referências sobre o que é real. Além, disso o irreal muitas vezes reflete o que o autor gostaria que fosse realidade ou como o próprio vê o mundo, a vida, etc.

O desenho artístico ainda se diferencia da ilustração, pois, esta última, normalmente, tem que seguir um briefing e é voltada para o comércio. O desenho faz uso de qualquer instrumento que possa marcar um meio bidimensional. Instrumentos comuns como grafite, lápis, caneta e tinta, pincéis com tinta, lápis de cor de cera, lápis de cor, carvão, giz, pastel, vários tipos de borrachas, marcadores, canetas e vários metais (como as canetas pena, que tem a ponta de metal ou aerógrafo).

Materiais para desenhos mais progredidos

Lápis graduados: HB, B,H, 2B,4B, 6B,7B,8B,9B ( Você não precisa ter todos, mas pelo menos uns 2 ou 4 (2B, 4B, 6B,8B)

  1.  Lapiseira 0,5
  2. Grafite Pentel 0,5 3B
  3. Borracha limpa tipos
  4.  Esfuminho 2,3,4
  5.  Borracha limpa-tipo
  6.  Borracha branca Plástica
  7.  Um apontador ou estilete
  8.  Bloco de papel com 140g/m² ou 200g/m² ou 240g/m².

OBS: É preciso que você tenha sempre pastas catálogos A4 e A3 ou A2 para conservar os seus desenhos, mesmo aqueles que em sua opinião não ficaram tão bons, mas eles serão formidáveis na comparação da sua evolução dos desenhos posteriores

  Materiais básicos e necessários para os artistas: 

Materiais para Desenho
Materiais para desenhos Realistas

 

Desenho realistas (Maurício Fortunato Araújo)

 

Eu uso essa Lapiseira Pentel GRAPH 600 0,5mm. Cor: AZUL. Pega e clips em alumínio. Indicador de grafite e borracha na tampa interna, produto importado usado para diferentes áreas de um desenho. Ele vêm a calhar com detalhes finos e áreas apertadas e também onde exige maior concentração de texturas e sombras.

Lápis Staedtler Lumograph Mars

Materiais para desenhos Realistas

Eu uso os Lápis Staedtler Lumograph Mars e eu não iria mudá-los para qualquer outro tipo. Eles são resistentes e não quebram facilmente, estes são para planejar desenhos altamente detalhados e com muita textura. Esses lápis podem variar em 8H, 7H, 6H, 5H, 4H, 3H, 2H, H, HB, F, B, 2B, 3B, 4B, 5B, 6B, 7B, 8B, 9B

Por “H” entende-se “Hard” – uma mina dura.

“B” entende-se “Brand” ou “Black” – uma mina macia ou preta.
Por “HB” entende-se “Hard/Brand”- uma mina de dureza média

Boleador

 

Materiais para desenhos Realistas Boleador

O emprego do boleador poderá ser muito diversificado, vai depender um pouco da sua capacidade                                                       criadora. Vou explicar como utilizo o boleador

Nesse desenho onde havia muitos fios brancos e muitos detalhes na toca, e antes de começar a passar o grafite, ou seja, o lápis na parte do cabelo foi onde eu utilizei o boleador para fazer os riscos referentes aos fios brancos, assentando força o suficiente para fazer as valetas. Lembrando que é necessário primeiro fazer os riscos brancos antes de começar a passar o grafite por cima. Devemos ter cuidado quando for utilizado o boleador, pois exige de sua paciência muita dedicação nos traços para não fazer os riscos não ficarem tremidos ou tortos, atente-se a fazer o mais paciente e regular possível.
 Caso tenha ficado alguma dúvida ou você conheça outra utilidade no desenho realista, favor comentar abaixo.
Estes são usados para a mistura de grafite, eles são uma grande ferramenta para obter transições suaves da escuridão para a luz. Nunca, nunca, nunca use o dedo para misturar grafite porque a lubrificação oleosa que temos nos dedos podem causar rasuras imperdoáveis no papel. Obter estes pequenos pontos é a pior coisa em um desenho, praticamente impossível de remover.


Esfuminhos

Materiais para desenhos Realistas  - Esfuminho é utilizado para sombrear o desenho e para espalhar o grafite sobre a região.

Esfuminho é utilizado para sombrear o desenho e para espalhar o grafite sobre a região.



Borrachas

Materiais para desenhos Realistas

O nome limpa tipos vem do termo tipos, que é o nome dado à letra da máquina de escrever. Está borracha é totalmente maleável, semelhante a uma massa de modelar. A sua textura extra suave permite absorver as partículas menores sem danificar o papel. Com isso, pode-se moldar a borracha na forma desejada, ajustando a necessidade do momento. A sua outra vantagem, é que ela é uma borracha que não borra, e sua finalidade básica é de retirar o excesso de grafite do desenho. Considero-a indispensável.

A borracha plástica também é muito importante, pois permite apagar traços mais fortes e principalmente na hora de dar forma ao cabelo (ela é a grande responsável pelos efeitos de brilho e “ondulação”). Por ser uma borracha dura, que permite um acabamento muito bom, nos cabelos como em várias outras partes que se necessite.
A caneta borracha e a caneta borracha circular é útil para apagar lugares com muitos detalhes, como os olhos, a boca, enfim, lugares que necessite de mais precisão. Existem outros tipos de borracha, mas as principais são estas. Confio que seja o suficiente para se trabalhar. É claro que isso vai depender da característica de cada artista.

Papel

Materiais para desenhos Realistas

 

 O papel mais utilizado pelos desenhistas é Papel tradicional Canson (papel com uma gramatura maior). Canson, na verdade, é a marca que produz o papel, mas pelo seu “monopólio”, o papel passou a ser conhecido por esse nome. Mas existem outros como: Fabriano que acabou recebendo grande destaque por traduzir em sua gramatura mais firmeza para fazer desenhos impecáveis. Vale a pena fazer testes para descobrir qual papel é mais apropriado ao seu estilo.



Iluminação

Materiais para desenhos Realistas  - Luminária é utilizada para causar no ambiente maior concentração de iluminação.

Luminária é utilizada para causar no ambiente maior concentração de iluminação.

Não poderia deixar de falar da importância da iluminação do ambiente. Deve-se escolher um local bem iluminado ou, ainda, com uma luminária. Existem vários detalhes na imagem que só podem ser vistos com uma boa iluminação. E, além do mais, ela preserva sua saúde, pois o ambiente pouco iluminado fará com que force mais os olhos, o que pode lhe trazer problemas oftalmológicos pelo fato de se passar muitos horas no exercício do desenho.

 Então é isso desenhista, espero que você conquiste bons resultados com seus desenhos.

Até a próxima!

Read more...

Aprendendo a Desenhar

Aprendendo como utilizar o Grafite

 

Você que deseja aprender a fazer Desenhos realistas, disponibilizo esse passo-a-passo detalhado. Mas o mesmo é apenas um modelo, com a prática cada um de vocês poderá adaptar cada etapa do desenho da forma que melhor lhe convier.
É importante evidenciar que para ser um bom retratista realista, além da ambição de ser um, é necessário ter muita disposição e praticar bastante, pois é um trabalho que exige bastante dedicação e paciência. Não pense que terá um grande resultado já no primeiro desenho. Na verdade ele servirá como uma experiência para começar a se acostumar com esse estilo. E alem de disposição, muita paciência, considerando que para se ter um bom desenho realista em média gasta-se de 10hs a 15 hs de trabalho, dependendo da complexidade da imagem e é claro, do tamanho do desenho.

Então vamos praticar?

Para fazer um ótimo desenho, não podemos ficar ocioso na escolha da imagem. Escolha uma que tenha uma boa resolução e que ratifique os pequenos detalhes. Geralmente nas revistas existem fotos legais, e também é possível encontrar na internet ou até mesmo no google. Uma dica: Uma foto tem que ter um contraste marcante entre luz e sombra, para que o desenho fique mais apreciado.
No próximo passo é preciso fazer um esboço. O esboço, como você pode conferir na imagem abaixo é o contorno da imagem, os seus traços. Fazendo o esboço primeiro pode-se garantir uma proporcionalidade maior para o desenho, pois como os detalhes ainda não foram trabalhados, caso não esteja proporcional, você pode ir apagando e refazendo quantas vezes for preciso e não perderá muito trabalho com isso. Alguns desenhistas não fazem esboço, e em determinado momento percebem que o desenho não está proporcional à imagem de origem, como por exemplo, um olho maior que o outro, boca muito pequena ou torto, enfim, e terá que apagar algumas partes, perdendo algumas horas de trabalho, o que não é nada legal.
Fazendo um esboço proporcional, você fica livre na hora de fazer os detalhes, sombreamentos, pois seguirá os riscos já prontos.

Obs: na hora de fazer o esboço, faça riscos leves, para que fique mais fácil de cobri-los na hora do sombreamento.

Se você ainda não consegue fazer um esboço e queira partir direto para o sombreamento, que é o que vou ensinar aqui, vou deixar uma dica: Existem algumas revistas que ensinam técnicas de como retirar um desenho de uma foto, por exemplo, através do quadriculado, ou com diretrizes em formado de cruz como nos meus desenhos. Você fazendo o desenho com quadrículos que consiste em dividir a foto/imagem a ser desenhada em vários quadros proporcionais e fazer a mesma divisão no papel onde vai desenhar, e depois, você passará o desenho para o papel observando quadro por quadro, tendo assim, uma superfície menor para se preocupar, para cada quadrante.
Depois de feito o esboço, sugiro começar o sombreamento pelos olhos.

Dica: Mantenha os lápis sempre bem apontados, pois isso ajuda muito nos detalhes. Guarde num pequeno recipiente (frasco) o pó do grafite que solta quando se aponta o lápis, pois ele será útil no final do desenho.

Fazendo os olhos

 
 

Figura 1 – Fazendo o olho

Com o lápis com graduação 2b, de acordo com a cor dos olhos a ser desenhado, comece a pintar a iris dos olhos com o lápis, sem forçá-lo, ou seja, você tem que ir aos poucos até chegar na mesma textura que tem a fotografia. Com o esfuminho, pressione por cima do grafite dando a tonalidade de sombreamento que a fotografia exige se aproximando do real, como eu estou mostrando na imagem.

Com um lápis 2B, por exemplo, faça os últimos acabamentos. Tenha paciência, os olhos são uma das partes mais importantes e complicadas de se fazer, mas no final vale a pena adiar um pouco mais para se ter um bom resultado.

Agora que já finalizamos a iris do olho, falta terminar o restante do olho. Se o contorno dos olhos estiver com um risco muito forte, passe a borracha e apague até ele quase sumir, e com o lápis faça novamente mais suave e com cuidado para não passar do tom, e depois novamente com o esfuminho, espalhe o risco, formando a sombra dos cílios nos olhos. Na parte branca do olho também tem sombras, leves, que devem ser feitas com muito cuidado, e para isso, e só passar o esfuminho com delicadeza nas extremidades dos olhos onde tiver sombras.

Obs: uma das vantagens de se usar esfuminho é que o mesmo, ao ser pressionado no grafite, fica “sujo “, e pode ser usado para fazer sombras nos mais variados tons, usando apenas a sujeira da grafite que fica após ser friccionado na grafite.

Faça os cílios, com riscos de lápis bem finos e de leve, de forma que não apareça muito. Faça o mesmo procedimento no outro olho, e partiremos para o sombreamento nos contornos dos olhos.

 

2° Passo

Fazendo o contorno e sombreando parte externa e circulares do olho

Figura 2 – Fazendo o olho

O sombreamento da pele é parte fundamental para um desenho realista.

Oriento você a nunca ter pressa de terminar cada etapa e sempre tentando fazer o mais parecido possível com a foto, respeitando os tons para que a sombra dê um aspecto real ao desenho. Esse jogo de luz e sombra é que da a noção de profundidade no desenho, uma impressão 3D. Olhando na figura a baixo poderá ver que ao começar o sombreamento ao redor dos olhos, já se pode notar ondulações na pele, dando noção tridimensional no desenho.

O esfuminho ajuda a espalhar melhor a grafite e dar mais brilho. Não se esqueça de deixar a “bolinha” branca que sempre tem refletindo no olho, pois ele é importantíssimo para dar um aspecto real em um desenho realista.

Para fazer as sombras usamos o esfuminho, caso ele já esteja sujo de grafite, começamos a fricciona-lo diretamente no papel com cuidado até atingir a graduação certa. Caso precise de grafite, com um lápis de graduação clara (caso a pele seja clara) por exemplo o lápis 3B, faça o sombreamento com ângulo de mais ou menos 30º graus com o lápis em relação ao papel e com muita suavidade. Na parte superior ao olho temos uma dobra na sobrancelha, faça um risco nela com o lápis. Depois passe o esfuminho (o esfuminho geralmente escurece um pouco mais o tom que foi posto anteriormente com o lápis, então não exagere com o lápis) espalhando melhor a grafite deixado pelo lápis, tomando sempre o cuidado para que se alcance a graduação correta. Caso fique mais escuro, poderás tirar o excesso de grafite utilizando a borracha Limpa-Tipos (consultar materiais para desenhos). Após ter sombreado, deve fazer uma análise da área sombreada comparando com a foto, para isso deve afastar o desenho um pouco da sua visão de forma que possa enxergar melhor os detalhes. Caso constate que ficou muito forte a sombra, já sabes que pode usar a Limpa-Tipos, e caso achar que ficou fraco, passe mais uma camada de lápis, e depois espalhe com o esfuminho novamente.

3° Passo

Fazendo a Sobrancelha

 

Figura 3 – Fazendo o olho
Figura 4 – Fazendo o olho
Quanto mais a foto seja bem nítida, a sobrancelha fica bastante rica em detalhes como vocês podem visualizar na imagem acima. Geralmente e possível ver o sentido do crescimento dos fios, e é isso que temos que reproduzir no desenho. Com um lápis bem apontado, faça os fios, da mesma forma que estão na foto e com a mesma intensidade, não tenha pressa, faça a sobrancelha com muito cuidado que dará um bom aspecto para o desenho. E essa parte não será difícil, uma vez que o seu esboço já foi feito, agora você só precisará preencher o seu interior com os riscos dos pelinhos. Importante: deve tomar cuidado com as margens da sobrancelha, pois nela os pelos são bem fraquinhos e fininhos, deve ser feito da mesma forma para não ficar muito forte e rústico. Depois de pronto, passe com força moderada o esfuminho em cima só para dar uma melhoradinha (para escurecer as frestas entre os riscos). 

4° Passo

Fazendo o Nariz
 
Figura 5– Fazendo o Nariz

 

Figura 6– Fazendo o Nariz
Repare que nos contornos do nariz a sombra é mais forte, más repare que eu disse sombra, e não risco. Jamais deve aparecer riscos no desenho realista, apenas sombras. Tome muito cuidado quanto a isso. E é claro, no orifício do nariz, existe uma sombra bem escura, que deverá ser feita com um lápis de graduação maior, por exemplo, o grafite 3B.

5° Passo

Fazendo a Boca
Figura 7– Fazendo a Boca
A boca também é outra parte que exige um pouco mais de atenção e paciência. Principalmente se a pessoa estiver sorrindo, pois os dentes são outro desafio, que apanhei muito para aprender a fazê-los, mas vou poupá-los da dor de cabeça e ensinar como se pode ter um bom resultado.
A boca, principalmente das mulheres, reflete mais brilho do que o restante do rosto, e ao mesmo tempo é mais escura. Esses brilhos devem ser feitos. Eles são evidenciados deixando partes claras nos lábios — igualmente, estão nas fotos. Tenha bastante atenção para fazer os detalhes. Os pequenos sulcos que existem nos lábios podem ser evidenciados com pequenas luzes, que podem ser feitas com o Limpa-Tipos, moldando sua ponta como uma lâmina e passa-la no desenho, criando os sulcos.

6° Passo

Sombreando o rosto em Geral
Figura 8– Sombreando o rosto em geral
Não é preciso delongar explicando como fazer o sombreamento de todas as partes do rosto, pois isso vai depender mais do seu golpe de visão para detectar o detalhe na foto e reproduzir no desenho. Isso mesmo, eu disse REPRODUZIR TODOS OS DETALHES POSSÍVEIS DA FOTO NO DESENHO.
 
Dica: para que você saiba localizar onde colocar os detalhes da foto no desenho, sempre procure pontos de referência. Exemplo: uma pinta em cima do olho, mais ou menos entre o olho e a sobrancelha, como os riscos do desenho já estão prontos, você só precisará ter um pouco de noção de espaço para localizar proporcionalmente onde colocar, e o tamanho do detalhe a ser colocado, mas isso é mais complicado somente quando está se fazendo uma ampliação de uma foto. 

7° Passo

Fazendo as Orelha
Figura 9– Fazendo as Orelhas
A orelha é outra parte rica em detalhes, cheia de ondas e curvas, mas nada que seja impossível de fazer. Nela podemos ver como a luz e a sombra dá essa ideia de profundidade, e essa ondulação deve ser feita no desenho.
Você pode começar a sombrear com um lápis 2B escurecendo o suficiente nas ondulações, não deixando riscos, mas sombras fortes, e depois com o esfuminho espalhar a sombra para o restante da orelha respeitando a graduação da foto. Nos pontos onde a luz é mais intensa, pode-se passar a Limpa-Tipos caso tenha escurecido com o esfuminho. Na orelha existem pontos escuros, medianos e iluminados, e essa mistura de tons é que da um toque real no desenho. 

8° Passo

Fazendo a Barba
Figura 10 – Fazendo o Barba
 
Fazer a barba não é um processo tão complicado, pois é o mesmo processo para fazer fios de cabelos, só que nesse desenho a única diferença é que são pequenos fios, ou seja, pequenos riscos na região do rosto com o grafite 3B. É necessário que você tenha muita paciência, pois são vários risquinhos no papel para causar esse feito de barba. O importante também é utilizar o baleador, para fazer pequenos sucos no papel para quando for passo o grafite por cima fiquem as pequenas valetas causando a impressão de pequenos pelos loiros. Então tome muito cuidado na hora de fazer esse processo, ok?

9° Passo

Fazendo o cabelo
Figura 11– Fazendo o Cabelo
 
O cabelo é uma das partes mais difíceis de fazer um efeito realista. Se você simplesmente pegar um lápis de ponta fina e ir riscando os fios, dificilmente conseguira um resultado bom, a menos que já esteja bastante familiarizado com essa técnica e esteja disposto a passar várias horas nessa etapa do desenho. Eu faço de uma forma mais demorada, ou seja, eu faço fio a fio, e esse é uns dos motivos para qual eu tenho um melhor resultado quando o meu desenho é observado. A textura realista é importante exatamente por que será comparado com os seus próximos desenhos mais evoluídos. Então é importante que você tenha muita paciência para fazer fio a fio, ok?
Figura 12– Fazendo o Cabelo
Figura 13– Fazendo o Cabelo
Figura 14– Fazendo o Cabelo
Onde, na foto, estiver clara a mecha de cabelo, você pode passar varias vezes a borracha até chegar no tom desejado, esse movimento com a borracha da um efeito de luz muito bonito no cabelo. Perceba que sempre tem pequenos fios que está por cima de outras. Nesses casos, deve-se usar a lógica, trabalhando sempre nas mechas que estão por baixo e depois nas que passam por cima. Faça corretamente as curvas dos cabelos. Essa ondulação do cabelo é bem complexa, examine bem a foto e veja qual o comportamento dos fios, e depois de verificado, faça com a borracha tentando deixar o mais parecido possível. Alguns fios se sobressaem dos demais, e eles podem ser feitos com um lápis com ponta bem fina, inclusive aqueles fios que ficam fora as mexas, como se estivesse arrepiados.
Quando fizer a raiz, tem que ter cuidado para a borracha não borrar o rosto, e é aconselhável fazer um retoque com o lápis. Faça os fios mas com risco leves, e ficará muito bom.

10° Passo

Fazendo o Pescoço

Figura 15– Fazendo o Pescoço
Faça o pescoço com as técnicas de sombreamento que você já aprendeu, e com atenção, pois nessa região as sombras são mais intensas do que na maior parte do desenho. Sempre em volta do colarinho da roupa tem uma sombra bem escura, que some gradativamente conforme se afasta da gola da roupa. E embaixo do queixo também existe uma sombra forte.

11° Passo

Fazendo a Roupa
Figura 16– Fazendo o Cabelo
A roupa não é uma parte tão fácil de fazer ainda mais se ela tiver muita textura que como mostro em meus desenhos feitos, como esse acima. Nas roupas não que não mereça capricho, mas não precisa se prender tanto aos detalhes como no rosto, pois ao contrário da roupa, no rosto se não estiver exatamente igual na foto, corre o risco de o desenho não parecer com a pessoa no final.
Você pode fazer as sombras com o lápis 4B e depois passar o esfuminho para espalhar melhor. Para que as dobras da roupa fiquem evidentes é importante fazer todo o jogo de luz e sombra que já aprendemos. Pode-se clarear algumas partes da roupa para dar um aspecto mais real usando o limpa-tipos, ok?

12° Passo

Finalizando o Desenho

Figura 17– Fazendo o Cabelo
Agora sim o desenho já está quase pronto, atingimos um passo que muito importante, pois agora você já tem um desenho quase pronto, e poderá avaliá-lo como um todo. Veja se alguma coisa não ficou como deveria, e corrija o melhor que puder. Nessas horas a borracha Limpa-Tipos é muito útil.
Se tiver manchado nas margens do papel, passando uma borracha limpar-se-á boa parte das manchas.
Você gostou da minha aula?
 
Deixe seu comentários e suas críticas ou até mesmo perguntas, assim que for possível eu respondo a todos.
Read more...