Aprendendo a desenhar

Como fazer um corpo humano (Desenho realista)

Como Desenhar um Corpo Humano

 Método 1 de 2: Visões Frontal e Lateral

Como desenhar um corpo humano (Desenho Realista)

1 Esboce a estrutura de uma figura humana. Se você quiser desenhar de forma mais realista é altamente recomendável aprender sobre a anatomia humana e sobre proporção.
Como desenhar um corpo humano (Desenho Realista)
2 Esboce as formas do corpo para dar volume à figura humana.
Como desenhar um corpo humano (Desenho Realista)
3 Esboce os detalhes da figura humana usando as formas do corpo como guia.
Como desenhar um corpo humano (Desenho Realista)
4 Desenhe os contornos sobre o esboço para terminar
Como desenhar um corpo humano (Desenho Realista)
5 Apague e remova as marcas dos esboços.
Como desenhar um corpo humano (Desenho Realista)
6 Acrescente a cor básica da figura.
Como desenhar um corpo humano (Desenho Realista)
7 Acrescente sombreamento, se necessário.

Método 2 de 2: Desenhar Usando Perspectiva

Como desenhar um corpo humano (Desenho Realista)
1 Perspectiva é a aparência de um objeto tridimensional menor do que seu tamanho real, dependendo da posição do observador. Por exemplo, a imagem mostra como é um cilindro visto de lado, e como ele parece menor quando uma de suas extremidades está virada para o observador de forma a ser possível enxergar somente a extremidade circular.
Como desenhar um corpo humano (Desenho Realista)
2 Esboce a estrutura da figura humana. Perceba que o braço direito e a parte superior da perna esquerda parecem menores, pois estão apontadas para o observador.
Como desenhar um corpo humano (Desenho Realista)
3 Esboce as formas do corpo para dar volume à figura humana. O mesmo princípio de proporção é aplicado ao braço e à perna, pois foram usados cilindros para compô-los.
Como desenhar um corpo humano (Desenho Realista)
4 Esboce os detalhes da figura humana usando as formas do corpo como guia.
Como desenhar um corpo humano (Desenho Realista)
5 Desenhe os contornos sobre o esboço para finalizar.
Como desenhar um corpo humano (Desenho Realista)
6 Apague e remova as marcações de esboço.
Como desenhar um corpo humano (Desenho Realista)
7 Acrescente a cor básica.
Como desenhar um corpo humano (Desenho Realista)
8 Acrescente sombreamento, se necessário.
 Dicas
  • Quanto mais você praticar, melhor será!
  • Delimite os espaços de antemão e certifique-se de que todas as proporções estão corretas antes de partir para os detalhes. Você não vai gostar de ter investido grande esforço em detalhar os olhos para depois perceber que um deles está mais elevado que o outro.
  • Para verificar se as proporções estão corretas, olhe para a imagem de cabeça para baixo. Esta é ótima dica para quem busca precisão.
  • Compare porções do corpo com outras. Um dedo ou um lápis podem ajudar como marcadores. Simplesmente olhe um pouco afastado para a imagem, com um olho fechado, para determinar se ela está espaçada corretamente.
  • Quando estiver desenhando um corpo feminino lembre-se de que mulheres possuem ombros menores do que homens. É um erro comum desenhar mulheres com ombros muito largos, bem como com ombros pequenos demais. Observe as proporções enquanto desenha para garantir que está mantendo a anatomia em equilíbrio.
  • Olhe no espelho a pose que você está desenhando. Sempre procure por membros fora de proporção em relação a outras partes do corpo.
  • Materiais Necessários
  • Lápis (o mecânico foi usado neste exemplo)
  • Papel
  • Régua

 

Read more...

Materiais de Desenhos Realistas

  Desenho para iniciantes (Introdução)

Você sabe o que é desenho artístico?

Podemos utilizar o desenho para várias finalidades distintas, seja para um projeto de arquitetura, para entregar a um amigo ou ainda para expressar todos os sentimentos presos em você em determinado momento, por exemplo. Dependendo da situação, se usa um tipo diferente de desenho.

Mas, o que é um desenho artístico, afinal?

Como temos várias finalidades distintas, para algumas delas temos o desenho artístico. Diferentemente do desenho técnico que é usado para mostrar com exatidão como ficará um projeto depois de pronto, seguindo algumas normas técnicas etc., no desenho artístico não há a preocupação com normas, pois, tudo que é colocado no papel é, simplesmente, a forma como o artista enxerga o mundo. No desenho artístico é possível que o artista exprima todos seus sentimentos ocultos da maneira que preferir.

Neste tipo de desenho, o autor pode desenhar como preferir, não precisando que algo pareça real, é a maneira como ele vê suas ideias e sentimentos e não como os outros as veem. No desenho artístico podemos utilizar qualquer tipo de papel, além de lápis, carvão, lápis de cor, entre outros. Cabe ao autor do desenho escolher quais materiais conseguem suprir as necessidades daquele determinado momento.

Você sabe o que é DESENHOS REALISTAS?

Há aqueles que prefiram os Desenhos-Realistas que mostram a realidade nos seus mínimos detalhes como os meus desenhos que podem ser visulizados na pagina de galerias de desenhos. Quem utiliza esta técnica, normalmente estudou bastante até chegar neste resultado, contudo, não pense que as outras técnicas não precisam de estudo. Todas elas necessitam estudar muito, pois, por mais perfeito que tal desenho seja, a cada novo pode-se aprender mais.

Mesmo que seu desenho não retrate a realidade como realmente é, é importante conhecê-la bem antes de desenhar, pois, para sabermos o que não é real precisamos de referências sobre o que é real. Além, disso o irreal muitas vezes reflete o que o autor gostaria que fosse realidade ou como o próprio vê o mundo, a vida, etc.

O desenho artístico ainda se diferencia da ilustração, pois, esta última, normalmente, tem que seguir um briefing e é voltada para o comércio. O desenho faz uso de qualquer instrumento que possa marcar um meio bidimensional. Instrumentos comuns como grafite, lápis, caneta e tinta, pincéis com tinta, lápis de cor de cera, lápis de cor, carvão, giz, pastel, vários tipos de borrachas, marcadores, canetas e vários metais (como as canetas pena, que tem a ponta de metal ou aerógrafo).

Materiais para desenhos mais progredidos

Lápis graduados: HB, B,H, 2B,4B, 6B,7B,8B,9B ( Você não precisa ter todos, mas pelo menos uns 2 ou 4 (2B, 4B, 6B,8B)

  1.  Lapiseira 0,5
  2. Grafite Pentel 0,5 3B
  3. Borracha limpa tipos
  4.  Esfuminho 2,3,4
  5.  Borracha limpa-tipo
  6.  Borracha branca Plástica
  7.  Um apontador ou estilete
  8.  Bloco de papel com 140g/m² ou 200g/m² ou 240g/m².

OBS: É preciso que você tenha sempre pastas catálogos A4 e A3 ou A2 para conservar os seus desenhos, mesmo aqueles que em sua opinião não ficaram tão bons, mas eles serão formidáveis na comparação da sua evolução dos desenhos posteriores

  Materiais básicos e necessários para os artistas: 

Materiais para Desenho
Materiais para desenhos Realistas

 

Desenho realistas (Maurício Fortunato Araújo)

 

Eu uso essa Lapiseira Pentel GRAPH 600 0,5mm. Cor: AZUL. Pega e clips em alumínio. Indicador de grafite e borracha na tampa interna, produto importado usado para diferentes áreas de um desenho. Ele vêm a calhar com detalhes finos e áreas apertadas e também onde exige maior concentração de texturas e sombras.

Lápis Staedtler Lumograph Mars

Materiais para desenhos Realistas

Eu uso os Lápis Staedtler Lumograph Mars e eu não iria mudá-los para qualquer outro tipo. Eles são resistentes e não quebram facilmente, estes são para planejar desenhos altamente detalhados e com muita textura. Esses lápis podem variar em 8H, 7H, 6H, 5H, 4H, 3H, 2H, H, HB, F, B, 2B, 3B, 4B, 5B, 6B, 7B, 8B, 9B

Por “H” entende-se “Hard” – uma mina dura.

“B” entende-se “Brand” ou “Black” – uma mina macia ou preta.
Por “HB” entende-se “Hard/Brand”- uma mina de dureza média

Boleador

 

Materiais para desenhos Realistas Boleador

O emprego do boleador poderá ser muito diversificado, vai depender um pouco da sua capacidade                                                       criadora. Vou explicar como utilizo o boleador

Nesse desenho onde havia muitos fios brancos e muitos detalhes na toca, e antes de começar a passar o grafite, ou seja, o lápis na parte do cabelo foi onde eu utilizei o boleador para fazer os riscos referentes aos fios brancos, assentando força o suficiente para fazer as valetas. Lembrando que é necessário primeiro fazer os riscos brancos antes de começar a passar o grafite por cima. Devemos ter cuidado quando for utilizado o boleador, pois exige de sua paciência muita dedicação nos traços para não fazer os riscos não ficarem tremidos ou tortos, atente-se a fazer o mais paciente e regular possível.
 Caso tenha ficado alguma dúvida ou você conheça outra utilidade no desenho realista, favor comentar abaixo.
Estes são usados para a mistura de grafite, eles são uma grande ferramenta para obter transições suaves da escuridão para a luz. Nunca, nunca, nunca use o dedo para misturar grafite porque a lubrificação oleosa que temos nos dedos podem causar rasuras imperdoáveis no papel. Obter estes pequenos pontos é a pior coisa em um desenho, praticamente impossível de remover.


Esfuminhos

Materiais para desenhos Realistas  - Esfuminho é utilizado para sombrear o desenho e para espalhar o grafite sobre a região.

Esfuminho é utilizado para sombrear o desenho e para espalhar o grafite sobre a região.



Borrachas

Materiais para desenhos Realistas

O nome limpa tipos vem do termo tipos, que é o nome dado à letra da máquina de escrever. Está borracha é totalmente maleável, semelhante a uma massa de modelar. A sua textura extra suave permite absorver as partículas menores sem danificar o papel. Com isso, pode-se moldar a borracha na forma desejada, ajustando a necessidade do momento. A sua outra vantagem, é que ela é uma borracha que não borra, e sua finalidade básica é de retirar o excesso de grafite do desenho. Considero-a indispensável.

A borracha plástica também é muito importante, pois permite apagar traços mais fortes e principalmente na hora de dar forma ao cabelo (ela é a grande responsável pelos efeitos de brilho e “ondulação”). Por ser uma borracha dura, que permite um acabamento muito bom, nos cabelos como em várias outras partes que se necessite.
A caneta borracha e a caneta borracha circular é útil para apagar lugares com muitos detalhes, como os olhos, a boca, enfim, lugares que necessite de mais precisão. Existem outros tipos de borracha, mas as principais são estas. Confio que seja o suficiente para se trabalhar. É claro que isso vai depender da característica de cada artista.

Papel

Materiais para desenhos Realistas

 

 O papel mais utilizado pelos desenhistas é Papel tradicional Canson (papel com uma gramatura maior). Canson, na verdade, é a marca que produz o papel, mas pelo seu “monopólio”, o papel passou a ser conhecido por esse nome. Mas existem outros como: Fabriano que acabou recebendo grande destaque por traduzir em sua gramatura mais firmeza para fazer desenhos impecáveis. Vale a pena fazer testes para descobrir qual papel é mais apropriado ao seu estilo.



Iluminação

Materiais para desenhos Realistas  - Luminária é utilizada para causar no ambiente maior concentração de iluminação.

Luminária é utilizada para causar no ambiente maior concentração de iluminação.

Não poderia deixar de falar da importância da iluminação do ambiente. Deve-se escolher um local bem iluminado ou, ainda, com uma luminária. Existem vários detalhes na imagem que só podem ser vistos com uma boa iluminação. E, além do mais, ela preserva sua saúde, pois o ambiente pouco iluminado fará com que force mais os olhos, o que pode lhe trazer problemas oftalmológicos pelo fato de se passar muitos horas no exercício do desenho.

 Então é isso desenhista, espero que você conquiste bons resultados com seus desenhos.

Até a próxima!

Read more...

Aprender/Pintura Digital

 

 
Pintura Digital – Desenhos Realistas

 

Pinturas fantásticas e Foto-Realista são gêneros e estilos que, na maioria das vezes, funcionam bem em conjunto. A fantasia, também muito ligada a literaturas do mesmo gênero, é provavelmente integrante da arte desde que esta foi criada ao passo que o foto-realismo foi um termo primariamente relacionado a um movimento estado-unidense que ganha força no final da década de 60 com artistas como Richard Estes, Chuck Close e John De Andrea. Nesse período, a arte-fantástica, antes produzida somente pela ilustração e pintura, começa também a aparecer gradativamente em trabalhos fotográficos e a ganhar mais espaço.
Hoje, com a possibilidade de desenharmos em um computador, podemos fazer uma pintura digital e realista utilizando basicamente os mesmos conceitos que os pintores da década de 60 utilizavam; como queremos uma figura visualmente polida, sem muitos traços de pincel aparentes, faremos bastante uso de ferramentas que se assemelham aos aerógrafos, muito utilizados para realizar esse tipo de pintura em uma tela ou painel. Quanto à fantasia, as referências são essenciais: filmes, livros, outras pinturas, fatos do cotidiano e até sonhos podem ajudar no momento de compor uma atmosfera fantástica.
Este passo-a-passo, portanto, tem o intuito de esclarecer um pouco mais sobre como um trabalho do gênero fantasia e, ao mesmo tempo do estilo foto-realista, pode ser feito digitalmente e  discorrer um pouco mais sobre a técnica utilizada, bem como sobre brushes customizados, texturas e cores — é na realidade uma mistura de tutorial com making of. Como nem todos os detalhes estão completamente expostos aqui, assistir também ao vídeo que acompanha este texto poderá esclarecer alguma dúvida que eventualmente aparecer.
1 – ESBOÇO
 

 

2 – OLHO

 

            v 3 – FACE

 

4 – CORPO FÍSICO

 

5 – CABELO

 

Para visualizar o processo completo dessa Pintura Digital, é só acessar meu vídeo aula, onde mostro o passo-a-passo.

Read more...
Técnica de Luz e sombra (desenho realista)

Técnica Realista – Luz e Sombra

 

Técnica Luz e Sombra

Estrutura da Luz e Sombra

 

A Iluminação sobre luz e sombra é a parte do acabamento mais importante, e não dá para você imaginar um objeto finalizado se este não tiver luz e sombra.Antes de desenhar a luz e as sombras que você vê, você precisa treinar seus olhos para ver como um artista.Os valores são os diferentes tons de cinza entre o branco e o preto. Os artistas usam valores para traduzir a luz e as sombras que vêem em sombreamento, criando assim a ilusão de uma terceira dimensão.Eclosão e sombreado são técnicas simples e divertido para a elaboração de sombreamento.

Uma gama completa de valores é o ingrediente básico para sombreamento. Quando você pode desenhar lotes de valores diferentes, você pode começar a adicionar sombreamento e, portanto, a profundidade, para seus desenhos.Com o sombreamento, a ilusão mágica de realidade tridimensional aparece em seu papel de desenho.Se o objeto for iluminado por todos os lados ou se tiver sombra ou escuro por todo os lados, ele não aparece, ou seja, você verá tudo claro ou tudo escuro.

Então é necessário determinar uma fonte de luz para iluminar o objeto, iniciando assim a forma do mesmo.Com essa fonte de luz pronta, você precisará texturizar, escolher os lados e as faces do objeto que não receberão a luz para poder escurecer essas faces juntamente com essas texturas,  formando assim, o volume.

Com isso, é importante aprender que a iluminação poderá ter até 5 partes:

 

  1. Brilho, ou seja, a área que não será pintada, representando a área de maior concentração da luz.
  2. Meio tom
  3. Sombra
  4. A luz refletida
  5. Sombra projetada

 Veja os exemplos:

Técnica de Luz e sombra (desenho realista)

 

Desenho realista ( Maurício Fortunato Araújo)

Desenho Realista em andamento (Maurício Fortunato Araújo

Essa imagem acima é umas das minhas artes realistas onde está bem explicito LUZSOMBRA. Vocês podem visualizar que no desenho fico com o aspecto mais realistaquando essas duas ações são juntadas em um mesmo ambiente. Por isso é importante à iluminação em um Desenho Realista.
Técnica de Luz e sombra (desenho realista)

 

 
As figuras acima é um exemplo de desenho artístico Hiper-Realista.

Obs: Nem todo desenho precisara ter necessariamente essas 5 partes, porém não esqueça que Luz e Sombra é fundamental para dar volume e forma ao desenho.

Atenção:  Você sabe que os objetos ao seu redor são tridimensionais, porque você pode andar com eles, vê-los de todos os lados, e tocá-los. Tome um momento para olhar ao seu redor em objetos familiares. Tente descobrir porque você vê as suas reais formas tridimensionais. Olhe para os diferentes valores criados pela luz e sombras.

Sombra própria e projetada

Num desenho em duas dimensões, a luz e a sombra são elementos que definem e caracterizam o volume do objeto.

O volume é o que distingue os objetos que nos rodeiam. Este depende da luz que recebe, e por consequência das sombras que este produz.

Podemos definir dois tipos de sombras:

 

  1.  As próprias
  2. As projetadas.

 

As sombras próprias são as que origina o objeto em si próprio e as projetadas são aquelas que ele produz nas superfícies vizinhas.

 

Técnica de Luz e sombra (desenho realista)

Observe a figura acima, você pode ver que atravéz dos efeitos de luz e sombra, um simples círculo virou uma esfera ao fazer volume com sua própria sombra. Mas quando se acrescenta a sombra projetada o objeto deixa de estar no espaço vazio.

 

Técnica de Luz e sombra (desenho realista)

Também se deve ter em consideração os reflexos produzidos pela luz, que projetam as superfícies ou objetos vizinhos já que estas aclaram a sombra própria.
Entre a luz e a sombra há uma zona de transição ou de “meia sombra” que pode variar em extensão dependendo da intensidade da luz.

E dependendo da graduação do cinza que você colocar no seu desenho, ou seja, se você apertar mais o tom no papel deixando a sombra mais escura e a sombra projetada super escura. Você pode, através do seu desenho, especificar do que é feito o seu objeto. Veja o exemplo:

 

Técnica de Luz e sombra (desenho realista)

Mas não basta só um lápis de grafite macio, a gramatura do papel influencia muito no efeito dos desenhos, por exemplo, você não conseguirá reproduzir todos esses efeitos num papel sulfite , no qual, sua gramatura é de 75g/m². É necessário papel com gramatura acima de 140g/m².

Escala tonal

A escala tonal é excelente para exercitar o olhar, treinar a percepção da luz e iluminação. Válidas para iluminação natural e artificial.

Mas para entender sobre a escala de tons das cores e neutros é preciso entender que cada cor possui um grau de pureza – não sofrem a ação da luz ou da mistura com outra cor ou neutro e que os neutros não são cores. Nas duas situações, com a ação da luz, poderá ocorrer uma variação tonal sobre o corpo de um elemento em função:

A. das sombras – própria ou projetada;

 

B. das áreas mais ou menos iluminadas.

Técnica de Luz e sombra (desenho realista)
Dica importante:
OS DESENHOS NÃO SÃO FEITOS COM CONTORNOS E SIM TRABALHADOS EXCLUSIVAMENTE EM FUNÇÃO DA GRADUAÇÃO DA LUZ E SOMBRA.
Exercícios de Luz e Sombra:
Os desenhos podem ser feitos da observação de quaisquer imagens, a partir do real ou de fotografias.
EXERCÍCIO 01 – PREPARATÓRIO ESCALAS DE LUZ E SOMBRA
Técnica de Luz e sombra (desenho realista)

Abaixo outro exemplo de escala tonal com lápis de gramaturas diferente. No exemplo você vê apenas 6 quadradas, mas você pode fazer com 9 ou 10 quadrados. Mas lembre-se, tem que fazer sem repetir os tons.

 

Técnica de Luz e sombra (desenho realista)

Para exercitar Luz e Sombra

Tomar um olhar mais atento a luz e a sombra

Antes que você possa desenhar os valores apropriados que ilustram a luz e as sombras corretamente, você precisa ser capaz de identificar visualmente o seguinte:

Fonte de luz: A direção da qual se origina uma luz dominante. A colocação desta fonte de luz afeta todos os aspectos de um desenho.

Sombras: As áreas em um objeto que recebe pouca ou nenhuma luz.

Sombra projetada: A área escura sobre uma superfície adjacente onde a luz é bloqueada pelo objecto sólido.

A fonte de luz diz-lhe onde desenhar todos os valores de luz e sombras.

É necessário um pouco de prática para localizar a fonte de luz, sombras e sombras projetadas em torno de um objeto. Assim que escolher o objeto a ser desenhado, pergunte a si mesmo as seguintes questões:

Onde estão os valores de luz? Olhe para as áreas mais claras sobre o objeto. Da luz mais brilhante até as mais leves.

Onde estão os valores escuros? Valores escuros, muitas vezes revelam as seções do objeto que estão na sombra. Ao localizar sombras, normalmente você pode identificar a fonte de luz.

Onde está a sombra? A seção da sombra mais próxima do objeto é geralmente mais escura em um desenho. Ao localizar a sombra de um objeto, você pode facilmente descobrir a direção de onde se origina a fonte de luz.

Se você preferir usar um modelo real, aqui vai a dica, posicione uma mesa comum, no meio você colaca uma xícara ou qualquer fruta,  aqui eu exemplifico com uma xícara , na direção que você quiser posicione há alguns centimentro de distante da xícara um spot; essa distância fica como você preferir, lembrando que dependendo da distancia que spot estiver, o comprimento da sombra projetada pode variar também.

Técnica de Luz e sombra (desenho realista)

Aqui vai um exemplo com uma fruta sobre um papel sulfite, Maçã;
Técnica de Luz e sombra (desenho realista)

 

Acima você vê a mesma maça fotografada em ângulos diferente de visão, assim você pode se posicionar em qualquer lugar ao redor da maçã e desenhá-la.
Mas caso prefira basear-se através de fotografia, abaixo segue duas imagem em preto e branco para facilitar a percepção da escala de cinzas no momento que for desenhar e dar forma e volume no objeto a ser ilustrado.
Técnica de Luz e sombra (desenho realista)
Técnica de Luz e sombra (desenho realista)
 
Deixe seu comentário, que responderei as suas dúvidas, ok? 
Read more...

Aprender/ Rostos e Faces

 

Como desenhar Cabeças e Faces do rosto
Durante parte da minha vida, para eu conseguir uma estrutura melhor de como fazer um esboço de uma cabeça humana. Tudo que eu aprendo foi sozinho e isso me tornou um autodidata, porém nem todos tem a mesma habilidade que eu tive em traduzir um esboço realista.
A estrutura do rosto humano é muito importante quando vocês forem fazer. O Desenho da cabeça inicia com a introdução de um método simples para a construção da cabeça, para aprovação que todas as soluções estejam colocadas impecavelmente.

 

v  1 – Instruções
Hoje a muitas formas de desenhar um rosto, assim como muitos ângulos. Para iniciar, você precisa aprender a desenhar o rosto frontal e lateralmente. As variações e perspectivas vêm com o treino e aprimoramento. Vamos começar pelo rosto frontal.
Procure fazer todos esses desenhos a mão livre, já que de início você irá exercitar. Para arte final ou para detalhes mais precisos, você pode usar réguas e outras ferramentas, mas exercitando a mão livre inicialmente, você não cria vícios com elas e ainda aprimora sua coordenação motora.
Desenhe um Circulo com o compasso. Divida-o ao meio e depois em quatro partes horizontalmente. Essa é a marcação do rosto. Os olhos ficam no meio do rosto e segue uma métrica particular, a distância entre eles é a mesma medida de um olho, e será do tamanho do nariz.
Para o nariz, faça um círculo ladeado por dois círculos menores, isso serve para te guiar na hora de fazer o arredondado do nariz e as narinas. A boca vem logo abaixo, lembrando que devemos definir menos a boca masculina, com poucos traços. Já a boca feminina deve ser feita com mais detalhes sempre, mas não de forma exagerada.
As orelhas começam na mesma altura que a sobrancelha e terminam na altura do nariz. A raiz do cabelo começa no primeiro traço horizontal que divide a cabeça.
v 2 – Rosto Lateral

 

Para um rosto lateral, desenhe um circulo com o compasso, e  com a linha vertical passando em uma das laterais, essa linha demarca a face do personagem. Depois faça um circulo mais circunferência, ou seja, menos alongado, para definir a cabeça. Ele deve fazer uma intersecção com o circulo inicial. Nesse caso, você deve tomar cuidado com a posição dos olhos, pois totalmente de lado nós só vemos um olho da personagem e podemos desenhá-lo como um triângulo deitado bem próximo da linha vertical. A orelha segue a mesma métrica, mas agora é ligeiramente inclinada para trás, enquanto o nariz é quase um triângulo.
v 3 – Construção dos Ângulos
O primeiro passo é você determinar o ângulo da bola.
A inclinação da cabeça é estabelecida no inicio do desenho com a bola. Todos os três eixos devem ser abordados:

 

A inclinação para cima e para baixo é estabelecido pelos ângulos das linhas horizontais e verticais em forma oval, além de inclinar para cima e para baixo, os terços (que são aquelas linhas que representam o início do cabelo, a base do nariz e a base do queixo) serão encurtados por causa da perspectiva.
Depois de estabelecer o ângulo da bola, dividir a face em terços, a distância entre a linha da testa e couro cabeludo deve ser a mesma entre a linha da testa e a parte inferior do nariz e entre a parte inferior do nariz e a linha do queixo. Conseguiu entender?

 

Agora, como seu exercício, você deve esboçar muitas bolas e fazer varias cruzes em diversas posições dando ideia a movimento da cabeça, como pra cima, pra baixo, para o lado esquerdo e direito. Em seguida siga os exemplos citados acima, formando a mandíbula, pra dar forma a uma cabeça.
v 5 – Proporção da Face

 

A face é dividida em 4 partes iguais a partir da topo da cabeça. A partir dessa medida, podemos obter a posição dos elementos do rosto.

Ou em 3 partes iguais, deixando o volume do cabelo ser acrescentado  apenas 1/3  a mais da medida da testa.

 

Depois faça a divisão igual para desenhar olhos, nariz e boca.
Observe que:
Existe uma distância de um olho entre os olhos e da mesma largura que as narinas.
As linhas verticais a partir da borda das íris são a largura da boca. (Quando os diafragmas estão na posição normal com o olhar para frente)
v 6 – Como desenhar os olhos

 

Para desenhar olhos é necessário muita prática e observação, já que há diferentes tipos de olhos e traços diferentes, tudo vai depender do contexto, principalmente se você pretende desenhar retratos realistas.
Os olhos são formados pelo globo ocultar, a íris, a pupila, pálpebras e cílios que não podem se esquecidos.
Há várias maneiras de desenhar olhos humanos, o exemplo a seguir é uma das maneiras que costumo fazer e que acho mais simples. Espero que vocês não tenham dificuldades em desenhá-los também.
Mas antes quero comentar sobre alguns erros comuns:
Evite desenhar formas totalmente ovais ou quadradas, a forma mais aconselhável é uma mistura das duas coisas;
Não deixe à íris (parte colorida do olho) totalmente aparente, ou seja, formar um círculo completo. Se vocês começarem a observar mais olhos em fotos ou até mesmo os seus pelo espelho, verá que a pálpebra cobre uma parte dela, deixando um pouco mais da metade amostra.
O esboço é como um desenho simples que qualquer pessoa sem a prática será capaz de fazê-lo. A diferença está em dar efeitos se sombreamento, os quais darão forma e volume aos olhos, tornando-os realistas. Esses sombreamentos seriam os dutos lacrimais ( o “canto” do olho), próximo ao nariz; fazer a linha próxima dos cílios inferiores para dar a espessura da pele, os próprios cílios de uma forma irregular, ou seja, não igual em todo o olho.
Uma dica bem legal é deixar uma parte sem desenhar do olho na parte de baixo. Quanto a íris, é importante e fundamental que você sempre deixe um espaço branco, nada muito grande e nem exagerado, (para não ficar como olhos de desenhos mangá) e deixar a parte superior da pálpebra, mais escuro

 

 

 

Você tem que ser  paciente quando iniciar sombreamento nos olhos e prefira usar lápis com grafites moles como 3B, 4B e 6B.

 

 

Dependendo do lápis e papel que você usar, o seu desenho apresentará efeitos de textura diferentes. Esse desenho, por exemplo, foram usado para esboço HB, 2B e como acabamento e promovendo mais volume eu usei o lápis 4B  E 6B na parte superior da iris, pupila e cílios.

 

v 7– Mostrando como fazer um olho realista

 

v 8– Dica  para desenhar um olho igual ao outro

        v 9– Como desenhar o nariz

 

Para desenhar o nariz deve-se fazer como base uma estrutura bem simples, o triângulo, ou pirâmide com três faces, desse modo fica mais fácil desenhar e criar volume e características anatômicas.

O nariz tem início na linha dos olhos até a linha do final das orelhas, ou seja, todo nariz tem o mesmo tamanha da orelha.
Os traços no desenho de nariz feminino, são mais suaves e retos, nos narizes do rosto masculino deve-se ressaltar o osso nasal.

Quanto mais detalhes de sombreamento você adicionar em seu desenho, mas realista ele pode ficar, mas lembre-se, os primeiros rabisco serão suaves, dê volume nos seus desenhos apertando o tom do seu grafite cuidadosamente, para que não estrague o papel e nem dê um aspecto sujo no seu trabalho.

 

     v 10– Como desenhar  boca

Comece o desenho uma linha base interlabiais (horizontal) e outra vertical bem centralizada na boca, formando uma cruz, essas linhas já devem ser traçadas no espaço onde a boca deve ficar dentro das proporções das linhas do rosto. Em seguida pode traçar as bordas superiores e inferiores da boca, não precisa fazer outras linhas, pois o volume da boca será feito com efeitos de luz e sombra.

Boca e olhos são fundamentais para dar realismo no desenho de retratos, então paciência, com muita pratica em luz e sombra, deixarão seu desenho cada vez mais realista.

 

Esboço de boca sorrindo

Efeitos de luz e sombra nos dentes, as linhas que antes separavam os dentes tornaram-se sombreamento, promovendo mais realismo no desenho.

v 10– Como desenhar orelha





Com domínio da luz e sombra e usando a técnica do esfumado, os desenhos serão mais realistas.

Desenhar orelha não é tão difícil quando parece. Alguns artistas não gostam de desenhá-las, escondendo com os cabelos.
Tudo vai depender da sua observação. Preste atenção nas curvas da orelha e em suas características: orelhas pontudas, redondas, fechadas, abertas, juntas a cabeça, separadas e muito separadas (conhecidas como orelha de abano).


Dicas:
Nunca use desenhos de orelhas para treinar, use fotos, desenhe a orelha de fotografias, é só você procurar na internet que você poderá encontrar muitas fotografias de orelhas.
A proporção da orelha é a mesma do nariz ( nariz pequeno, orelha pequena e assim por diante), ou seja, entre a sobrancelha e a ponta do nariz.
Bom amigos, espero que tenham gostado desse meu tutorial. Se você gostou ou tem dúvidas é só deixar seu comentário ou pergunta ok?
Tenham todos uma boa aula!
Maurício Fortunato Araújo
Read more...

Aprendendo a Desenhar

Aprendendo como utilizar o Grafite

 

Você que deseja aprender a fazer Desenhos realistas, disponibilizo esse passo-a-passo detalhado. Mas o mesmo é apenas um modelo, com a prática cada um de vocês poderá adaptar cada etapa do desenho da forma que melhor lhe convier.
É importante evidenciar que para ser um bom retratista realista, além da ambição de ser um, é necessário ter muita disposição e praticar bastante, pois é um trabalho que exige bastante dedicação e paciência. Não pense que terá um grande resultado já no primeiro desenho. Na verdade ele servirá como uma experiência para começar a se acostumar com esse estilo. E alem de disposição, muita paciência, considerando que para se ter um bom desenho realista em média gasta-se de 10hs a 15 hs de trabalho, dependendo da complexidade da imagem e é claro, do tamanho do desenho.

Então vamos praticar?

Para fazer um ótimo desenho, não podemos ficar ocioso na escolha da imagem. Escolha uma que tenha uma boa resolução e que ratifique os pequenos detalhes. Geralmente nas revistas existem fotos legais, e também é possível encontrar na internet ou até mesmo no google. Uma dica: Uma foto tem que ter um contraste marcante entre luz e sombra, para que o desenho fique mais apreciado.
No próximo passo é preciso fazer um esboço. O esboço, como você pode conferir na imagem abaixo é o contorno da imagem, os seus traços. Fazendo o esboço primeiro pode-se garantir uma proporcionalidade maior para o desenho, pois como os detalhes ainda não foram trabalhados, caso não esteja proporcional, você pode ir apagando e refazendo quantas vezes for preciso e não perderá muito trabalho com isso. Alguns desenhistas não fazem esboço, e em determinado momento percebem que o desenho não está proporcional à imagem de origem, como por exemplo, um olho maior que o outro, boca muito pequena ou torto, enfim, e terá que apagar algumas partes, perdendo algumas horas de trabalho, o que não é nada legal.
Fazendo um esboço proporcional, você fica livre na hora de fazer os detalhes, sombreamentos, pois seguirá os riscos já prontos.

Obs: na hora de fazer o esboço, faça riscos leves, para que fique mais fácil de cobri-los na hora do sombreamento.

Se você ainda não consegue fazer um esboço e queira partir direto para o sombreamento, que é o que vou ensinar aqui, vou deixar uma dica: Existem algumas revistas que ensinam técnicas de como retirar um desenho de uma foto, por exemplo, através do quadriculado, ou com diretrizes em formado de cruz como nos meus desenhos. Você fazendo o desenho com quadrículos que consiste em dividir a foto/imagem a ser desenhada em vários quadros proporcionais e fazer a mesma divisão no papel onde vai desenhar, e depois, você passará o desenho para o papel observando quadro por quadro, tendo assim, uma superfície menor para se preocupar, para cada quadrante.
Depois de feito o esboço, sugiro começar o sombreamento pelos olhos.

Dica: Mantenha os lápis sempre bem apontados, pois isso ajuda muito nos detalhes. Guarde num pequeno recipiente (frasco) o pó do grafite que solta quando se aponta o lápis, pois ele será útil no final do desenho.

Fazendo os olhos

 
 

Figura 1 – Fazendo o olho

Com o lápis com graduação 2b, de acordo com a cor dos olhos a ser desenhado, comece a pintar a iris dos olhos com o lápis, sem forçá-lo, ou seja, você tem que ir aos poucos até chegar na mesma textura que tem a fotografia. Com o esfuminho, pressione por cima do grafite dando a tonalidade de sombreamento que a fotografia exige se aproximando do real, como eu estou mostrando na imagem.

Com um lápis 2B, por exemplo, faça os últimos acabamentos. Tenha paciência, os olhos são uma das partes mais importantes e complicadas de se fazer, mas no final vale a pena adiar um pouco mais para se ter um bom resultado.

Agora que já finalizamos a iris do olho, falta terminar o restante do olho. Se o contorno dos olhos estiver com um risco muito forte, passe a borracha e apague até ele quase sumir, e com o lápis faça novamente mais suave e com cuidado para não passar do tom, e depois novamente com o esfuminho, espalhe o risco, formando a sombra dos cílios nos olhos. Na parte branca do olho também tem sombras, leves, que devem ser feitas com muito cuidado, e para isso, e só passar o esfuminho com delicadeza nas extremidades dos olhos onde tiver sombras.

Obs: uma das vantagens de se usar esfuminho é que o mesmo, ao ser pressionado no grafite, fica “sujo “, e pode ser usado para fazer sombras nos mais variados tons, usando apenas a sujeira da grafite que fica após ser friccionado na grafite.

Faça os cílios, com riscos de lápis bem finos e de leve, de forma que não apareça muito. Faça o mesmo procedimento no outro olho, e partiremos para o sombreamento nos contornos dos olhos.

 

2° Passo

Fazendo o contorno e sombreando parte externa e circulares do olho

Figura 2 – Fazendo o olho

O sombreamento da pele é parte fundamental para um desenho realista.

Oriento você a nunca ter pressa de terminar cada etapa e sempre tentando fazer o mais parecido possível com a foto, respeitando os tons para que a sombra dê um aspecto real ao desenho. Esse jogo de luz e sombra é que da a noção de profundidade no desenho, uma impressão 3D. Olhando na figura a baixo poderá ver que ao começar o sombreamento ao redor dos olhos, já se pode notar ondulações na pele, dando noção tridimensional no desenho.

O esfuminho ajuda a espalhar melhor a grafite e dar mais brilho. Não se esqueça de deixar a “bolinha” branca que sempre tem refletindo no olho, pois ele é importantíssimo para dar um aspecto real em um desenho realista.

Para fazer as sombras usamos o esfuminho, caso ele já esteja sujo de grafite, começamos a fricciona-lo diretamente no papel com cuidado até atingir a graduação certa. Caso precise de grafite, com um lápis de graduação clara (caso a pele seja clara) por exemplo o lápis 3B, faça o sombreamento com ângulo de mais ou menos 30º graus com o lápis em relação ao papel e com muita suavidade. Na parte superior ao olho temos uma dobra na sobrancelha, faça um risco nela com o lápis. Depois passe o esfuminho (o esfuminho geralmente escurece um pouco mais o tom que foi posto anteriormente com o lápis, então não exagere com o lápis) espalhando melhor a grafite deixado pelo lápis, tomando sempre o cuidado para que se alcance a graduação correta. Caso fique mais escuro, poderás tirar o excesso de grafite utilizando a borracha Limpa-Tipos (consultar materiais para desenhos). Após ter sombreado, deve fazer uma análise da área sombreada comparando com a foto, para isso deve afastar o desenho um pouco da sua visão de forma que possa enxergar melhor os detalhes. Caso constate que ficou muito forte a sombra, já sabes que pode usar a Limpa-Tipos, e caso achar que ficou fraco, passe mais uma camada de lápis, e depois espalhe com o esfuminho novamente.

3° Passo

Fazendo a Sobrancelha

 

Figura 3 – Fazendo o olho
Figura 4 – Fazendo o olho
Quanto mais a foto seja bem nítida, a sobrancelha fica bastante rica em detalhes como vocês podem visualizar na imagem acima. Geralmente e possível ver o sentido do crescimento dos fios, e é isso que temos que reproduzir no desenho. Com um lápis bem apontado, faça os fios, da mesma forma que estão na foto e com a mesma intensidade, não tenha pressa, faça a sobrancelha com muito cuidado que dará um bom aspecto para o desenho. E essa parte não será difícil, uma vez que o seu esboço já foi feito, agora você só precisará preencher o seu interior com os riscos dos pelinhos. Importante: deve tomar cuidado com as margens da sobrancelha, pois nela os pelos são bem fraquinhos e fininhos, deve ser feito da mesma forma para não ficar muito forte e rústico. Depois de pronto, passe com força moderada o esfuminho em cima só para dar uma melhoradinha (para escurecer as frestas entre os riscos). 

4° Passo

Fazendo o Nariz
 
Figura 5– Fazendo o Nariz

 

Figura 6– Fazendo o Nariz
Repare que nos contornos do nariz a sombra é mais forte, más repare que eu disse sombra, e não risco. Jamais deve aparecer riscos no desenho realista, apenas sombras. Tome muito cuidado quanto a isso. E é claro, no orifício do nariz, existe uma sombra bem escura, que deverá ser feita com um lápis de graduação maior, por exemplo, o grafite 3B.

5° Passo

Fazendo a Boca
Figura 7– Fazendo a Boca
A boca também é outra parte que exige um pouco mais de atenção e paciência. Principalmente se a pessoa estiver sorrindo, pois os dentes são outro desafio, que apanhei muito para aprender a fazê-los, mas vou poupá-los da dor de cabeça e ensinar como se pode ter um bom resultado.
A boca, principalmente das mulheres, reflete mais brilho do que o restante do rosto, e ao mesmo tempo é mais escura. Esses brilhos devem ser feitos. Eles são evidenciados deixando partes claras nos lábios — igualmente, estão nas fotos. Tenha bastante atenção para fazer os detalhes. Os pequenos sulcos que existem nos lábios podem ser evidenciados com pequenas luzes, que podem ser feitas com o Limpa-Tipos, moldando sua ponta como uma lâmina e passa-la no desenho, criando os sulcos.

6° Passo

Sombreando o rosto em Geral
Figura 8– Sombreando o rosto em geral
Não é preciso delongar explicando como fazer o sombreamento de todas as partes do rosto, pois isso vai depender mais do seu golpe de visão para detectar o detalhe na foto e reproduzir no desenho. Isso mesmo, eu disse REPRODUZIR TODOS OS DETALHES POSSÍVEIS DA FOTO NO DESENHO.
 
Dica: para que você saiba localizar onde colocar os detalhes da foto no desenho, sempre procure pontos de referência. Exemplo: uma pinta em cima do olho, mais ou menos entre o olho e a sobrancelha, como os riscos do desenho já estão prontos, você só precisará ter um pouco de noção de espaço para localizar proporcionalmente onde colocar, e o tamanho do detalhe a ser colocado, mas isso é mais complicado somente quando está se fazendo uma ampliação de uma foto. 

7° Passo

Fazendo as Orelha
Figura 9– Fazendo as Orelhas
A orelha é outra parte rica em detalhes, cheia de ondas e curvas, mas nada que seja impossível de fazer. Nela podemos ver como a luz e a sombra dá essa ideia de profundidade, e essa ondulação deve ser feita no desenho.
Você pode começar a sombrear com um lápis 2B escurecendo o suficiente nas ondulações, não deixando riscos, mas sombras fortes, e depois com o esfuminho espalhar a sombra para o restante da orelha respeitando a graduação da foto. Nos pontos onde a luz é mais intensa, pode-se passar a Limpa-Tipos caso tenha escurecido com o esfuminho. Na orelha existem pontos escuros, medianos e iluminados, e essa mistura de tons é que da um toque real no desenho. 

8° Passo

Fazendo a Barba
Figura 10 – Fazendo o Barba
 
Fazer a barba não é um processo tão complicado, pois é o mesmo processo para fazer fios de cabelos, só que nesse desenho a única diferença é que são pequenos fios, ou seja, pequenos riscos na região do rosto com o grafite 3B. É necessário que você tenha muita paciência, pois são vários risquinhos no papel para causar esse feito de barba. O importante também é utilizar o baleador, para fazer pequenos sucos no papel para quando for passo o grafite por cima fiquem as pequenas valetas causando a impressão de pequenos pelos loiros. Então tome muito cuidado na hora de fazer esse processo, ok?

9° Passo

Fazendo o cabelo
Figura 11– Fazendo o Cabelo
 
O cabelo é uma das partes mais difíceis de fazer um efeito realista. Se você simplesmente pegar um lápis de ponta fina e ir riscando os fios, dificilmente conseguira um resultado bom, a menos que já esteja bastante familiarizado com essa técnica e esteja disposto a passar várias horas nessa etapa do desenho. Eu faço de uma forma mais demorada, ou seja, eu faço fio a fio, e esse é uns dos motivos para qual eu tenho um melhor resultado quando o meu desenho é observado. A textura realista é importante exatamente por que será comparado com os seus próximos desenhos mais evoluídos. Então é importante que você tenha muita paciência para fazer fio a fio, ok?
Figura 12– Fazendo o Cabelo
Figura 13– Fazendo o Cabelo
Figura 14– Fazendo o Cabelo
Onde, na foto, estiver clara a mecha de cabelo, você pode passar varias vezes a borracha até chegar no tom desejado, esse movimento com a borracha da um efeito de luz muito bonito no cabelo. Perceba que sempre tem pequenos fios que está por cima de outras. Nesses casos, deve-se usar a lógica, trabalhando sempre nas mechas que estão por baixo e depois nas que passam por cima. Faça corretamente as curvas dos cabelos. Essa ondulação do cabelo é bem complexa, examine bem a foto e veja qual o comportamento dos fios, e depois de verificado, faça com a borracha tentando deixar o mais parecido possível. Alguns fios se sobressaem dos demais, e eles podem ser feitos com um lápis com ponta bem fina, inclusive aqueles fios que ficam fora as mexas, como se estivesse arrepiados.
Quando fizer a raiz, tem que ter cuidado para a borracha não borrar o rosto, e é aconselhável fazer um retoque com o lápis. Faça os fios mas com risco leves, e ficará muito bom.

10° Passo

Fazendo o Pescoço

Figura 15– Fazendo o Pescoço
Faça o pescoço com as técnicas de sombreamento que você já aprendeu, e com atenção, pois nessa região as sombras são mais intensas do que na maior parte do desenho. Sempre em volta do colarinho da roupa tem uma sombra bem escura, que some gradativamente conforme se afasta da gola da roupa. E embaixo do queixo também existe uma sombra forte.

11° Passo

Fazendo a Roupa
Figura 16– Fazendo o Cabelo
A roupa não é uma parte tão fácil de fazer ainda mais se ela tiver muita textura que como mostro em meus desenhos feitos, como esse acima. Nas roupas não que não mereça capricho, mas não precisa se prender tanto aos detalhes como no rosto, pois ao contrário da roupa, no rosto se não estiver exatamente igual na foto, corre o risco de o desenho não parecer com a pessoa no final.
Você pode fazer as sombras com o lápis 4B e depois passar o esfuminho para espalhar melhor. Para que as dobras da roupa fiquem evidentes é importante fazer todo o jogo de luz e sombra que já aprendemos. Pode-se clarear algumas partes da roupa para dar um aspecto mais real usando o limpa-tipos, ok?

12° Passo

Finalizando o Desenho

Figura 17– Fazendo o Cabelo
Agora sim o desenho já está quase pronto, atingimos um passo que muito importante, pois agora você já tem um desenho quase pronto, e poderá avaliá-lo como um todo. Veja se alguma coisa não ficou como deveria, e corrija o melhor que puder. Nessas horas a borracha Limpa-Tipos é muito útil.
Se tiver manchado nas margens do papel, passando uma borracha limpar-se-á boa parte das manchas.
Você gostou da minha aula?
 
Deixe seu comentários e suas críticas ou até mesmo perguntas, assim que for possível eu respondo a todos.
Read more...